quinta-feira, maio 28, 2020

A MÃE E A TÚNICA

“SUA MÃE LHE FAZIA UMA TÚNICA PEQUENA...” (1 Samuel 2.19).

O mês das mães está terminando. Lendo este texto mais uma vez, chamou-me a atenção o comportamento dessa mãe, cuja história é tão conhecida no meio evangélico. Quantos Congressos, especialmente de mulheres têm como tema o relato bíblico dessa mãe; e porque não falar nas pregações que incentivam a pedir a Deus aquilo que nos parece impossível, sabendo que Ele pode nos atender como atendeu o pedido de ANA?
Ao observarmos os textos de 1 Samuel 1, 2, conhecemos um pouco do assunto. Sabemos que ANA era a esposa amada do seu marido, porém, não lhe dava filhos. Tinha, perissodáctilo, uma rival que a provocava.
Não se sabe por quanto tempo ela suportou a humilhação. Imagine, o sofrimento a cada filho que a rival dava à luz.  Muita dor...
Todavia, uma das vezes que foram sacrificar Ana resolveu clamar a Deus por um filho. O interessante é que a motivação do pedido não foi egoísmo , pois, apesar do sonho de ser mãe, ela pensou na situação que o povo de Deus estava vivendo. Desse modo, prometeu entregar o filho ao serviço do Senhor por todos os dias da sua vida (1 Samuel 1.11), mesmo sem saber que decisão aquele menino tomaria no futuro, agiu por fé!
Petição atendida, certamente era a vontade do Senhor (1 João 5.14). Agora, eis o filho desejado nos braços da mãe! Como ela poderia abrir mão da companhia daquele por quem tanto esperou? Não seria doloroso levá-lo e deixá-lo sob os cuidados de um senhor de idade, já com limitações? Como o pequeno Samuel seria criado? Mas ela foi firme no que havia prometido ao Senhor! Cumpriu a sua promessa, após o menino ser desmamado.
Deixando o seu primogênito na casa do Senhor, retorna para Ramataim-Zofim, nas montanhas e só voltaria a vê-lo no próximo ano quando fosse sacrificar com seu marido Elcana.
Elcana pertencia ao clã de Efraim, uma tribo da qual não havia sacerdotes, visto que a tribo de Levi fora elegida por Deus para exercer o sacerdócio. Assim, pela ordem natural, Samuel jamais seria sacerdote do Senhor.
Ana, uma mulher de fé, sabia que seu filho “...MINISTRAVA PERANTE O SENHOR, SENDO AINDA MENINO, VESTIDO DE UMA ESTOLA SACERDOTAL DE LINHO.” (1 Samuel 2.18).
Estola ou sobrepeliz era uma das peças do vestuário do sacerdote. Eli, já permitia o menino servir como um sacerdote, embora sem os atavios da roupa. A estola era colocada sobre a túnica, portanto, era necessário usar a túnica sacerdotal e sobre ela colocar a estola.
A atitude de ANA ao confeccionar a túnica para seu pequeno Samuel já antevia o tempo em que ele serviria na casa do Senhor como sacerdote! Cada ano Samuel crescia em estatura, a túnica anterior ficava pequena, mas o menino sabia que sua mãe estava tecendo sua nova túnica.
A túnica era uma peça colocada sobre a roupa, era importante na composição das vestes de um homem. Jesus tinha uma túnica especial, sem costura, sobre a qual lançaram sortes, não a rasgaram pois aquela túnica era de muito valor.
Pensemos por um pouco: como estamos cooperando para que nossos filhos sejam verdadeiros sacerdotes? Todos quantos estão em Cristo, foram por Ele feitos sacerdotes para Deus.
Estamos fazendo alguma coisa para que nossos filhos sejam revestidos?
Na Nova Aliança, os sacerdotes (IGREJA), precisam ser revestidos e principalmente, com prioridade,
do Senhor Jesus (Gálatas 3.27; Romanos 13.14).
Queridas mães, estamos usando nosso tempo para cooperar com nossos filhos no que diz respeito  serem revestidos de Jesus? Partindo da premissa de que Jesus é a Palavra de Deus estamos investindo a Palavra na vida deles para que eles sejam gerados em Cristo, como Paulo escreveu aos Coríntios que “...PELO EVANGELHO VOS GEREI EM CRISTO”. (1 Coríntios 4.15)?
Investimos para que nossos filhos sejam preparados para viver na sociedade, para serem profissionais competentes, famosos, úteis ao próximo, vivam bem financeiramente, tenham status elevado ...
Tudo isso é bom, porém, o investimento na “TÚNICA” , desde pequenos é investimento para a eternidade!
Invistamos na preparação do sacerdote com a Palavra ensinada, praticada no dia a dia, manifestando o fruto do Espírito no relacionamento familiar, na vida de oração (exemplo), orando por ele, com ele e sobre ele, exercitando amor, perdão, misericórdia, serviço no Reino, generosidade, enfim...
O que conseguimos neste mundo um dia vai ficar aqui. Entretanto, se mantivermos nossa túnica sacerdotal limpa, sobre nossas vestes limpas, estaremos preparados para encontrar o Senhor nos ares e assim estaremos sempre com o Senhor!
Que alegria encontrar nossos filhos como reis  e sacerdotes reinando com Cristo, aleluia! E tudo pela graça!
MARANATA!

quinta-feira, maio 21, 2020

AS MENSAGENS... A MENSAGEM

“ ...PROCLAMAI A SUA SALVAÇÃO DIA APÓS DIA...” (Salmo 96.2).

O evangelho de Cristo é a Mensagem da salvação, as boas novas, que Jesus ordenou que fosse pregado a toda criatura (Marcos 16.15). Segundo Paulo escrevendo aos Efésios 1.13, o evangelho que temos crido é o evangelho da nossa salvação, portanto, pregar o evangelho de Cristo é proclamar Sua salvação.
Para que possamos fazer ou cumprir a ordem de Jesus, precisamos acima de tudo ser discípulos Dele, porque tal ordem fora dada aos seus discípulos. Isso certamente responde porque tantos evangélicos não pregam as boas novas - o evangelho.
Outra condição indispensável para pregar e fazer discípulos, além de ser discípulo é conhecer a Palavra, as palavras de Jesus e o que Ele tem mandado (Mateus 28.19.20). Nossa coração deve estar cheio da Palavra para que a nossa boca proclame a Palavra, e isso quer dizer estar cheio de Jesus, visto que Ele é “A PALAVRA DA VIDA” ( 1 João 1.1.).
Vivemos um tempo em que o mundo está cada dia mais movido por mensagens: mensagens que ouvimos pelos diferentes meios de comunicação, mensagens que lemos, mensagens quando falamos ao telefone, mensagens boca a boca e assim por diante.
As pessoas vivem ansiosas por mensagens e no mundo religioso não é diferente: os evangélicos vivem recebendo e enviando mensagens que são faladas em nome do Senhor, ou aquelas que nos assustam ou outras que massageiam o nosso ego e acalantam o nosso pecado, enfim...
O Amigo me tem levado a pensar um pouco sobre as mensagens e “A MENSAGEM” que é a infalível, inerrante, verdadeira Palavra de Deus - A Bíblia Sagrada.
Eis alguns assuntos que as mensagens que recebemos trazem e diferem do que nos diz A MENSAGEM:
Mensagens.                           MENSAGEM
1. Medo                                 Ousadia.                2 Timóteo 1.7; 1 Joao 4.18
2. Desespero.                         Esperança.            Romanos 15.4
3. Discussões, intrigas.          Paz.                       Salmos 119.165
4. Más notícias.                     Boas novas.           Hebreus 4.2
5. Tristeza.                            Alegria.                  Salmos 4.7; Romanos 14.17 (estar no Reino)
6. Mentiras, fakes news.       Verdade.                 Efésios 1.13
7. Morte.                                Vida.                      João 6.63
8. Corrupção.                         Santificação.         João 17.17
9. Incredulidade.                    Fé.                         Romanos 10.17
10. Violência.                         Amor.                    Romanos 5.5.        

Bem, amados, o que tem sido prioridade no nosso dia a dia? Mensagens ou a Mensagem?
O que buscamos com mais avidez? As mensagens ou a Mensagem?
O que tem enchido o nosso coração? As mensagens ou a Mensagem?
Procuramos as novidades que as mensagens trazem ou as novidades reveladas da Mensagem?
Comentamos mais sobre as mensagens ou compartilhamos a Mensagem?
Baseamos nossas vidas nas mensagens ou na Mensagem?
Enquanto é dia espalhemos a Mensagem usando todos os recurso que nos estão disponível, porque a noite vem, e se aproxima celeremente quando não teremos mais liberdade para isso. Não desperdicemos tempo com frivolidades, com vãs conversações, discutindo pontos de vista, todavia procuremos conhecer mais e mais a Mensagens porque somente ela é poderosa para salvar as nossas almas (Tiago 1.21).
MARANATA!  

sexta-feira, maio 15, 2020

CONHECER A VOZ NATURAL É EXTREMAMENTE IMPORTANTE


“...AS OVELHAS OUVEM A SUA VOZ...ELAS O SEGUEM, PORQUE LHE RECONHECEM A VOZ. AS MINHAS OVELAS OUVEM A MINHA VOZ...” (João 10.3,4,27).

As pessoas podem ser identificadas pela voz, principalmente quando convivem juntas, quando vivem relacionamentos de proximidade e intimidade. À medida em que convivemos com alguém mais de perto, somos capazes de saber se esse alguém encontra-se em um ambiente, apenas pela voz.
Há uma grande diferença entre conhecer a voz de uma pessoa que ouvimos falar pelo telefone, ou mesmo através de microfone, e conhecer a voz dela de forma natural sem o uso de qualquer recurso.
Falar através de audio não nos inspira a mesma confiança que ouvir boca a boca.
A Bíblia registra do relacionamento de Deus com um homem onde Deus falou a seguinte expressão: “...BOCA A BOCA FALO COM ELE...”  (Números 12.8). Grande era a intimidade desse homem com Deus, a ponto de conseguir fazer Deus mudar de atitudes em alguns momentos.
Em um culto em que estávamos, igreja lotada, o Pastor da igreja estava falando a Palavra de Deus. Dai, o Amigo Espírito Santo me falou: “estás vendo essa multidão que está ouvindo?” Sim, respondi-lhe. Ele falou então: “a maioria absoluta não conhece a voz do Pastor”. Eu repliquei, como assim, se todos o escutam? Ele continuou: “ a voz que o povo escuta não é a voz natural dele, mas sim a voz modificada pelo uso do microfone. Isso faz muita diferença “. Eu pensei: graças ao Senhor eu conheço a voz natural do meu Pastor, porque privo da sua amizade mais de perto.
Esta semana o Amigo me trouxe à memória nossa conversa daquele culto para me falar que estamos em um tempo onde muitos que se chamam pelo nome do Senhor não conhecem a Sua voz! Simplesmente não conhecem a voz do Deus que dizem habitar neles, misericórdia!
É meio que inadmissível pensar que alguém vive em nossa casa anos e anos e nós não conhecemos a sua voz.
Afirmamos que o Espírito Santo vive em nós e como há tantos que só ouvem a voz de Deus através de microfone (pessoas que transmitem a palavra, pessoas usadas no dom da profecia...)
Não dá para entender quando pessoas nos abordam saudando com a paz do Senhor, e, em seguida nos  pedem para lhes dar uma palavra da parte de Deus.
Há aqueles que não leem a Palavra,  não ouvem a Palavra diariamente para alimentar-se de Jesus que é a Palavra (Apocalipse 19.13; João 6.57), por isso só vão ao templo para buscar alimento espiritual, alimento esse oferecido por outros. Essas pessoas não buscam o alimento direto da Fonte - a Palavra.
Essa situação é um péssimo sinal no termômetro da vida espiritual, pois, quem não se alimenta sozinho ou ainda é bebê ou está com alguma enfermidade que o impede de fazê-lo,
Amados, hoje mais do que nunca precisamos conhecer a voz de Deus. É alguma coisa indispensável.
Como iremos dirigir nossa vida sem que o Amigo Espírito Santo não nos guie, falando conosco? Como viver em meio a tantas tribulações, tentações, ataques espirituais sem a UNÇÃO nos ensinar?
Como se ataviar para casar com o REI se Hegai (o Amigo) não nos orientar para nos apresentar ao REI? Ester ganhou a coroa porque seguiu as instruções de Hegai em tudo. Pudera, ela era amiga dele e ele conhecia bem o rei.
A voz de Deus que ouvimos é a natural ou de microfone?
Na antiga aliança Deus falava pelos profetas; no ministério de Jesus, Deus falava diretamente com os que O seguiam, pois Ele disse que falava o que recebia do Pai; hoje Deus fala dentro de nós porque somos templo e santuário do Espírito Santo, aleluia! Quem vive na casa não precisa sair para falar ao telefone do lado de fora, NÃO! Ele fala dentro de nós, glória a Deus e o Bom Pastor fala com as ovelhas que ouvem a Sua voz, conhecem a Sua voz e O seguem!
Somente os que conhecem a VOZ de Deus poderão reconhecer quando ouvirem: EIS O NOIVO!
MARANATA!

segunda-feira, maio 11, 2020

CONTATO


A paz do Senhor amados
Há pessoas que me escrevem sobre um aconselhamento.
Deixo mais uma vez aqui o nosso e-mail
lidiaamigadoamigo@hotmail.com
Deus vos abençoe
amigadoAmigo lidia

quarta-feira, maio 06, 2020

MÃE SENTENCIADA. FILHOS ÓRFÃOS


“...MAS QUANTO AOS SEUS DEUSES, NÃO FICARÁ VIVO AQUELE QUE ESTIVER COM ELES.” (Gênesis 31.32).

Estamos no mês das mães, e meditando sobre mãe na Bíblia, o Amigo me lembrou a história de uma mãe que marcou a vida do povo de Israel - RAQUEL.
Esta jovem era filha de Labão, irmão de Rebeca, esposa do patriarca Isaque, filho de Abraão. Morava em Pada-Arã e tinha como trabalho ser pastora, isto é, cuidava das ovelhas do seu pai.
Um dia foi levar o rebanho ao poço, sendo surpreendida por um cidadão que dizia ser sobrinho do seu pai, portanto, seu primo. Ele teve muita alegria ao vê-la e beijou-a.
O tio veio ao encontro dele, hospedou-o durante um mês e depois lhe propôs trabalho remunerado. Ele então, fez um contrato de trabalho como dote de casamento com a prima Raquel que era bonita, em relação à sua irmã Lia, mais velha.
Jacó foi enganado pelo tio, recebeu Lia, (imaginem a decepção de Raquel), e teve que trabalhar mais sete anos por aquele a quem ele amava. Que noiva cara!
A esposa aborrecida, Lia, foi abençoada por Deus com filhos, enquanto que a esposa amada era estéril. A rivalidade aumentava, com certeza.
Em  Gênesis 30.1, a palavra registra que Raquel era ciumenta, e cobrava do marido que lhe desse filhos, mas o problema não era ele e sim ela. Esposas, cuidado para não cobrar do marido transferindo para ele o que na verdade está em sua vida. O melhor é se examinar antes da cobrança.
Tentando se enganar com filhos, leva o marido a se envolver com a serva e gerar dois filhos. Autoengano.
Seu problema continuava a ponto de alugar o marido por frutas afrodisíacas que o filho da sua irmã tinha achado e trazido para sua mãe. Triste! O desespero provocado pelo vírus luciferiano leva uma mulher a tamanho disparate!
Como Deus é bom e misericordioso lembrou-se de Raquel! Ela finalmente engravida e tem um filho, um varão a quem dá o nome José, que quer dizer “aumentador”, esperando, assim novos filhos.
Segundo a ordenança de Jeová, seu marido resolve retornar para o lugar de onde havia saído por causa de problemas familiares. Após conversar com as esposas e explicar tudo, vai fazer a tosquia das ovelhas.
Raquel aproveitou a oportunidade e astutamente furta os terafins do seu pai! Eram ídolos do lar, e segundo as tradições o filho que o possuísse, após a morte do pai seria o herdeiro de todos os bens da família. Como essa mulher era ambiciosa! Era uma demonstração de vingança por ser achar lesada, naturalmente. Seu marido de nada sabia; ninguém, sabia, somente o Todo Poderoso!
Bem, quando seu pai encontra a caravana da família de Jacó, questiona a forma como aconteceu o fato, e reclama a atitude de Jacó em relação aos seus deuses. Surpresa! Como? Quem seria capaz de fazer tal coisa? Ele conhecia sua família e confiava em cada um deles, todavia, não conhecia o coração da mulher amada e o que ela seria capaz de fazer por interesse pessoal.
Com inteira convicção de que ninguém faria aquilo, ele manda que seu sogro faça uma busca em tudo o que é seu e profere a fatal sentença: “AQUELE QUE ESTIVER COM SEUS DEUSES, ESSE NÃO VIVA”. Palavra de autoridade familiar!
Raquel cria uma situação mostrando o quanto era esperta e engana seu pai, mentindo sobre o estar menstruada, o que não era verdade. Provavelmente ela já estaria grávida do outro filho, pois antes de chegar ao destino, entra em trabalho de parto e morreu!
E como está escrito: “ ...ESTE ESPÍRITO DE GANÂNCIA TIRA A VIDA DE QUEM O POSSUI.” (Provérbios 1.19). Misericórdia!
Agora, dois filhos estão órfãos! Perderam a mãe ainda em tenra infância, sendo criados pela mulher aborrecida do seu pai. Raquel, tomada pela ambição (orgulho) não pensou nas consequências do seu ato. Ali mesmo onde morreu foi sepultada.
Mesmo que vivesse, não desfrutaria do produto do furto, porque em Betel, todos os ídolos foram enterrados, escondidos debaixo do carvalho (Gênesis 35.4). E lá se foi o ídolo do lar!
Mães queridas, Raquel não tinha Jesus, tampouco o Amigo Espírito Santo, não conhecia a palavra escrita como nós, portanto, tenhamos muito cuidado para que as obras da carne não nos domine e nos leve a sofrer consequências nefastas prejudicando  a nossa família.
Detalhe: quando Jacó morreu no Egito, pediu para que José o colocasse na sepultura que Abraão adquiriu de Efron em Hebron, onde disse ele, estão Abraão e Sara, Isaque e Rebeca e onde eu sepultei  Lia! Afinal, seus ossos foram para o mesmo lugar onde jazia a sua primeira esposa - a aborrecida!
Quem pode entender os caminhos de Deus?
MARANATA!

sábado, maio 02, 2020

NOTICIAS DO REINO

“....TODAS AS COISAS COOPERAM JUNTAMENTE PARA O BEM DAQUELES QUE AMAM A DEUS...” (Romanos 8.28).

Recebi, ontem, um testemunho pessoal maravilhoso e quero comPartilhar convosco, para glória de Deus.
Com esse problema da pandemia, o marido da pessoa que me contatou ficou sem trabalho. Eles têm uma criança de meses e pagam aluguel. Moram nos Estados Unidos.
Como um recurso de direito, pediu ajuda desemprego e ficou à espera. Enquanto isso, se inscreveu para receber o auxílio do governo americano, por ser ele um cidadão e a criança também.
Nesta última semana de abril, sem resposta de nenhum lado, ele foi a uma reunião de homens na igreja, compartilhou a situação e pediu oração
Chegando em casa após a reunião, um dos irmãos que lá estava telefonou informando que tinha colocado uma importância para eles, importância esta que era suficiente para pagar as despesas mensais. Então, louvaram a Deus em gratidão pela providência.
No dia seguinte, receberam um comunicado do governo americano que eles estavam excluídos da lista dos beneficiados com a ajuda, pelo fato de ser ele casado com uma estrangeira (brasileira), cujo trâmite da documentação para legalização ainda não estava concluído.
Disse ela que chorou muito, mas pensou consigo: o governo me decepcionou, mas Jesus não me decepciona jamais! Eu não posso depender do governo, mas de Jesus.
Os amigos perguntavam se o auxílio já tinha chegado, daí, ela postou a informação recebida.
Imediatamente, uma irmã propôs que cada um dos irmãos que receberam a ajuda destinasse uma quantia para aquela família que substituísse o valor que o governo não tinha dado.
Rapidamente começaram a chegar ofertas e mais pessoas ofertando... A igreja telefonou avisando que  haviam deixado um envelope para eles. Ela foi buscar...
No dia seguinte, receberam outro telefonema da igreja avisando de outro envelope para eles. Desta maneira, meus amados, ao contar todas as ofertas, somavam um total mais que dobrado daquilo que esperavam receber do governo americano, aleluia!
Eles choraram ao se sentirem alvos da bondade e fidelidade de Deus! Expressaram gratidão por tudo o que receberam das mãos dadivosas do Pai!
E assim se cumpre a escritura do início do texto, como também o versículo que, na Bíblia em Português, versão corrigida, é exatamente o meio da Bíblia Sagrada - Salmos 118.8.
Deus seja louvado!

quinta-feira, abril 23, 2020

PROMESSA CONDICIONAL

“ ...PERDOAI E SEREIS PERDOADOS.” (Lucas 6.37).

A Bíblia é um livro de rico de promessas, porém, algumas são condicionais. Uma delas é na questão do perdão.
Durante toda a nossa vida desde a mais tenra infância, por conta do vírus luciferiano do orgulho, acumulamos raiva, ressentimentos, mágoas, amargura, rancor, ódio, afinal, muito lixo.
Isso tudo acaba fazendo de nós pessoas identificadas como insatisfeitas, críticas, acusadoras, sempre cobrando alguma coisa, agitadas, com muita facilidade para notar as coisas negativas no próximo, e ao se referir a elas deixa sair dos lábios um ranço;  intolerantes, donas da verdade, ríspidas, grosseiras, reagem agressivamente, impacientes (pavio curto).
Mesmo confessando Jesus como Salvador, há muitos aprisionados àqueles que não perdoaram. Cada pessoa que não perdoamos é um grilhão que nos prende a alma. Não somos livres!
 Precisamos ser perdoados pelos homens, mas acima de tudo precisamos do perdão do Pai, porque todos pecamos (1 João 1.8,10).
Segundo as escrituras os nossos pecados fazem separação entre nós e Deus ( Isaías 59.2), e ainda diz que nossos pecados encobre de nós o Seu rosto e Ele não nos ouve, imagine (vv.3).
A realidade é: precisamos ser perdoados por Deus! Mas para que Ele nos perdoe há uma condição a ser cumprida: precisamos perdoar (Mateus 6.14; Marcos 11.26).
Vejam bem meus filhinhos, não temos uma sugestão, mas uma ordem (Lucas 6.37; Colossenses 3.13).
Se não obedecermos à ordem da Palavra, somos desobedientes, e toda desobediência é pecado. E haja
pecado! Daqui a pouco estamos apenas na religião evangélica, mas sem sentir a presença de Deus. Ele está longe! Sem sermos perdoados os nossos pecados vão se acumulando cada dia; sem a presença do Senhor não há refrigério na nossa alma e vivemos agitados, impelidos, vivendo ativismo religioso, porque não conseguimos para para ouvir o nosso coração, tampouco a voz do Espírito. Sempre arranjamos coisas para fazer “na obra” e não paramos para ficar quietos como Maria aos pés do Mestre. Ela não falava, somente escutava. Temos escutado? Ou o burburinho a nossa volta nos deixa confusos e sem reconhecer a Voz?
O perdão traz descanso, tranquilidade, sossego...
Segundo as escrituras ofensas são consideradas dívidas, (Mateus 6.12), e quando não perdoamos acabamos vivendo em dificuldades financeiras, o salário é num saco furado (eu e meu marido vivemos isso na pele).
Também, se não perdoamos e mantemos amargura no coração nos privamos da graça de Deus e ainda somos contaminados (Hebreus 12.15; Apocalipse 21.27).
Se não perdoamos não podemos ter rios de águas fluindo do nosso interior, (João 7.38,39), de vez que as saídas das fontes da vida (do coração), estão obstruídas pelos sentimentos ruins (lixo).
Aqueles que não se reconciliam com o irmão não pode trazer oferta ao altar (Mateus 5.23-26), pois corre o risco de ser levado à prisão.
E quanto aos que não perdoam o irmão com a mesma misericórdia com que foi perdoado por Deus, será entregue aos atormentadores até que pague toda a sua dívida, que aliás já tinha sido perdoada (Mateus 18.32-35).
Finalmente, precisamos perdoar para que Satanás não alcance vantagem sobre nós, ou seja, sejamos vencidos por ele (2 Coríntios 2.10-11). Misericórdia!
Escrevo o que o Amigo me ordenou. Perdoa, amados, perdoa, sem buscar razão ou porque. Deixemos  de ser dominados pelo orgulho (idolatria - o “eu”), sejamos humildes e perdoemos como Deus em Cristo Jesus nos perdoou ( Efésios 4.32). Perdoa seu pai, mãe, irmãos, primos, todos os parentes que lhe magoaram, apelidaram, foram injustos; perdoa professores, colegas de escola, líderes da igreja; perdoa colegas de trabalho, chefes; perdoa quem lhe abusou de alguma maneira; esposa, perdoa seu marido, mãe  perdoa os filhos, noras perdoem os sogros, cunhados, família do marido; marido perdoe a esposa e a família dela, porque ninguém merece que sejamos excluídos do perdão de  Deus por causa dele.
“QUEM PERDOA UMA OFENSA PROMOVE AMOR, MAS QUEM VIVE RELEMBRANDO O ASSUNTO SEPARA OS MAIORES AMIGOS.” (Provérbios 17.9).
Mesmo sem gostar, AME, pois não temos desculpas porque “...O AMOR DE DEUS ESTÁ DERRAMADO EM NOSSOS CORAÇÕES PELO ESPÍRITO SANTO QUE NOS FOI DADO.” (Romanos 5.5.).
Somente os que amam com o amor de Deus terão condições de perdoar não somente sete vezes,  as setenta vezes sete. O Noivo está chegando e com Ele encontrarão nas nuvens os perdoados pelo Pai, afim de participar do banquete do perdão!
MARANATA!