quinta-feira, outubro 19, 2006

DEMONSTRANDO CARINHO PARA COM OS PAIS – 14


“... A ELISEU... UNGIRÁS PROFETA EM TEU LUGAR... DEIXA-ME BEIJAR A MEU PAI E A MINHA MÃE, E ENTÃO TE SEGUIREI.” (1 Reis 19.16,19).
Como é agradável a Deus o comportamento carinhoso de um filho em relação aos seus pais.
Todos os que são leitores da Bíblia Sagrada conhecem a história do profeta Eliseu. Um homem poderosamente usado por Deus na sua época. Substituto do profeta Elias por indicação do próprio Deus, deixou-nos grandes lições de vida.
Eliseu foi chamado enquanto trabalhava.
Está mais do que provado que Deus não tem interesse em chamar para a sua obra alguém que seja preguiçoso. Afinal Ele é um Deus trabalhador e sua obra não pode ser feita por pessoas indolentes. A diligência é necessária naqueles que são chamados para o trabalho do Senhor.
Eliseu não questionou o chamado do profeta. Não perguntou quem iria sustentá-lo a partir daquele momento. Nada perguntou. Tão somente fez um pedido. Antes de sair com o profeta Elias, queria despedir-se do seu pai e da sua mãe com um beijo! Que bela atitude!
Não podemos duvidar de que Eliseu era um filho que honrava seus pais, como manda a Palavra do Senhor. E a honra que o filho deve aos pais inclui atitudes que demonstram amor e carinho.
Nada mais traz alegria ao coração dos pais do que receberem dos filhos um abraço, um beijo...
Sabemos que até os animais gostam de ser tratados com carinho, quanto mais o ser humano.
Todos os filhos devem ter o hábito de manifestar seu apreço aos pais enquanto eles viverem, pois, ainda com vida eles podem devolver o abraço e o beijo recebido com um sorriso e uma bênção.
Para tristeza, o que vemos muitas vezes, são filhos que esqueceram de agir com carinho para com os pais enquanto vivos e na hora em que os vê no ataúde entram em desespero... Alguns chegam mesmo a desmaiar, apresentam crises de histeria, enfim...
Devem se lembrar com certeza de que agora, aqueles olhos não mais se abrem para lhe olhar com gratidão, a boca está fechada para sempre, não pode mais sorrir e abençoar, os braços estão inertes, jamais poderão abraçá-lo...
Aqueles que têm pai e mãe vivos ainda, ou mãe, ou pai, aproveitem todas as oportunidades para falar para eles o quanto eles são importantes em suas vidas, abraça-los, beija-los, de alguma maneira manifestar o amor que está no coração. Certamente fará a velhice dos pais mais agradável, minimizando até o sofrimento físico que porventura eles estejam passando.
Mesmo que sei pai, por exemplo, nunca teve o hábito de lhe abraçar, criando com isso uma barreira entre pai e filho, ainda assim é tempo de quebrar essa barreira. Deus está interessado. Nisso. Aja!
E lembrando sempre que da mesma maneira como agir em relação aos pais, amanhã, quando formos pai, será tratado pelos filhos, afinal está escrito:
“E COMO VÓS QUEREIS QUE OS HOMENS VOS FAÇAM, DA MESMA MANEIRA LHES FAZEI VÓS TAMBÉM.” ( Lucas 6.31).
Aproveite este dia para demonstrar seu amor e carinho por aqueles que foram escolhidos por Deus para lhes trazer ao mundo!
Aniversariantes PARABÉNS! Jó 5.24

Um comentário:

Aparecida Oliveira Da Silva disse...

olá amada!passei para te deixar um beijo e um versículo(sl 126.6).Depois do seminário voltamos a fazer o culto doméstico, sei que isso alegra o coração do pai.Estamos com saudades.aparecida.